terça-feira, 20 de janeiro de 2009

História do Futuro


Ano de 2423. O professor ainda está no poder do Departamento de História, sentado no trono-poltrona, tirando seu aparelho para a próxima aula, fumando um charuto (cubano), vestido de farda verde, cobertura verde, coturno (preto) e pensando naquele país que está a poucos quilômetros... Parece quem?, quem?? Quem??!!?

O curso na UFG agora tem 18 anos de graduação devido à avalanche de teses, informações e interpretações criadas ao longo destes quatro séculos – e à interdisciplinaridade...

A Idade Ulterior surge após a quebra da Dow Jones (e consequentemente de tudo e todos), fim da Internet e esgotamento do petróleo. Al Gore ainda conta votos, Fidel tropeça na barba (2,20 m) e Arnaldo Jabor continua com seu papelão no Jornal Nacional, após seu texto ser revisado 3 vezes pelos coronéis globais do PFL (fora o robô William Bonner que vende feito patinete...).

Judeus reconhecem Cristo, Japão e Los Angeles somem do mapa e pedaços das pirâmides do Egito são vendidos por milhões de reais (moeda mundial). Tucídides é desmascarado, Oiti faz a barba e Nei Clara cresce 2 cm e continua dando seus shows nas aulas. O uso do computador e as técnicas do carbono-48 aperfeiçoam cada vez mais nossa ciência, preenchendo inclusive as “lacunas” históricas de Finley. Teses e teses surgem a cada ano com a história vista sob a ótica dos escravos da Grécia Antiga e das mulheres na Idade Média. É revelado o 8º evangelho e descoberto o diário de São Jerônimo. Mongólia e Rússia brigam pelos restos de baritânio-183 na Ásia.

“Enquanto terroristas chantageiam com vírus eletrônicos e a máfia constrói sua respeitável economia paralela, o Brasil, cortado por trens supervelozes, exporta a sua tolerância e sincretismo, iluminando um período traumático da civilização. Novas alternativas de transporte urbano surgem após o mais definitivo congestionamento da era do automóvel. Não se fala mais de edifícios inteligentes, e sim da inteligência dos projetos. E graças ao produto ‘Vivavita’ o sistema de tratamento biológico de esgoto finalmente substitui os quilômetros de tubulações.”*

O professor acende mais um charuto.


* Parágrafo extraído do livro “Fax - Mensagens de um futuro próximo” do urbanista Jorge Wilheim, Paz e Terra.


(escrito em abril de 2001)

Nenhum comentário:

Postar um comentário