terça-feira, 29 de março de 2011

Áureo pecado


A fraqueza da ONU perante o ímpeto bélico-econômico dos EUA junto ao Iraque legitimou os yankees como a polícia do mundo. O Conselho de Segurança votou contra a invasão até a última instância - não pela paz, mas preocupado com os contratos que os países-membros tinham com o Iraque. Mas já que assim foi feito e ninguém segura o Tio Sam, tudo e todos podem, a qualquer momento, serem taxados de aliados do mal e acabarem parando em Guantánamo. Bush e Sharon não descansaram no inferno enquanto não eliminarem o último muçulmano da face da Terra. Portanto, jamais use um turbante. Barbas desgrenhadas ou quibe em casa é indício de simpatizante de terrorista. Se você receber e-mail de algum destino árabe, pode saber que amanhã os aviões F-117 estarão queimando o Brasil (com desculpas de manter a paz, mas será um pretexto para se apossarem da Floresta Amazônica).

Se for assim, há um estado que corre sério perigo, pois reúne todas as características justificadas para uma nova invasão: é o Vaticano, e os EUA fariam isso sem remorso algum, pois são um país de maioria protestante. De cara a Casa Branca poderia argumentar que o país está sob o poder de um ditador, que controla o executivo, o legislativo e o judiciário. A imprensa local está sob o monopólio estatal, o Estado não é integrante da ONU nem da União Européia, além de que o banco nacional faz investimentos em coisas que contrariam a fé que pregam, como bomba, tanques militares e anticoncepcionais. Este Estado possui bases em quase todo o planeta, inclusive nos EUA, orienta a educação de milhões de pessoas, desde o primário até em universidades, e não há uma só cidade em qualquer país do ocidente que não haja uma rua, ponte ou padaria com nome de algum de seus sócios, geralmente chamados de santos. Para adquirir este status é necessário o recolhimento de taxa para a composição de processo, submetido a tenebrosa burocracia.

Desde o 5º século da era cristã a Igreja sempre foi aliado de outros estados. Quando não, tentou subjugá-los. Criaram na Idade Média o Tribunal da ‘Santa’ Inquisição para reprimir qualquer contradição a seus preceitos, queimavam pessoas em praça pública, crianças eram assadas em espetos na frente de pais hereges e condenavam perpetuamente ao calabouço quem ousasse dizer algo que estivesse em desacordo com suas diretrizes. Implantaram as cruzadas, ou guerras santas, com a desculpa de tomar a cidade santa de Jerusalém, mas um dos reais motivos era resolver o problema da fome e do excedente populacional na Europa. Atualmente este estado realiza ataques biológicos, com a proliferação da AIDS, pois proíbem o uso de preservativos, impedindo o sexo sadio, inclusive pensar nisso é ilegal, transgressão esta chamada de pecado. As publicações deste país alimentam a violência discriminatória, pois qualifica homossexuais como seres anormais. Na verdade, um ataque ao Vaticano estaria os ajudando: já que eles combatem os homossexuais, bem disse o apresentador italiano Fábio Canino que “existe mais gays per capita dentro do Vaticano do que na maioria dos outros países”.

O ataque ao Vaticano expandirá a influência estadunidense na Europa e no Mar Mediterrâneo, transformará a OTAN em títere de seus objetivos e estabelecerá o controle sobre evangelhos apócrifos, obras de arte e toneladas de ouro guardadas e as que enfeitam o chão até o teto da Basílica. Impedirá que sejam desenvolvidas novas armas de 'distração' em massa (neste caso, as ideológicas), e será então possível implantar uma democracia liberal adaptada às ambições estadunidenses, talvez sem repetir erros como a eleição fraudulenta que elegeu Bush.

O papa, de sua janela, quando nos bombardeios iniciais, vendo todo aquele ouro espirrando por todos os lados, se imaginará numa alucinação, mas não deixará de cometer o áureo pecado de desejar aquilo tudo para si antes de sucumbir.


(escrito em julho de 2004)

2 comentários:

  1. E em 2004 quando o texto foi escrito não estava no poder o atual ditador Bento XVI. De lá para cá as coisas pioraram e muito!

    ResponderExcluir
  2. Os tribunais da Santa Inquisição inspiraram as ações dos "xerifes do mundo" para a defesa dos direitos humanos e da "democracia deles", ou seja o custeio do American-way-of-live, ao preço do sangues e das riquexas dos outros..

    ResponderExcluir