domingo, 4 de setembro de 2011

Capitalismo: nossa prisão de cada dia


Será que o sorvete refresca mesmo, ou é ilusão que aquele leite estragado vai trazer frescor? (a ingestão de glicose só deixa a pessoa com mais sede ainda)
Será que a cerveja é tão gostosa quanto dizem, ou nós aguentamos aquela coisa amarga só pra estarmos juntos à galera e ficarmos ligadões?
Será que se apreciarmos a cerveja com moderação veremos aquele monte de modelo dando bola igual no comercial?
Será que é mesmo necessário casar-se para ser feliz? Se eu comprar aquele apartamento serei feliz morando lá, ou depois do negócio vai surgir outro repetindo o slogan “venha ser feliz aqui”?
Já que o cartório é uma atividade comercial, e o comerciante sempre fala “volte sempre”, será que dá vontade no juiz do casamento falar isso também?
Será que as promoções são realmente o que dizem, ou é só uma forma de se livrarem de produtos fora de linha? E aquelas que são apenas enganosas, com o objetivo de atrair as pessoas?
Será que se abrirmos uma conta naquele banco ficaremos com a sensação de que o nosso dinheiro vai estar tranquilo e seguro? Com o tanto de taxas que são cobradas, os únicos que ficam tranquilos nesta história são os banqueiros... Seria melhor o slogan "Seu prejuízo é o nosso lucro".
Será que as distribuidoras de água e luz querem realmente que façamos economia?, pois se economizarmos elas vão faturar menos, e daí investirão menos.
Será mesmo que ainda não descobriram a cura das doenças ditas incuráveis, ou é treita da indústria farmacêutica para continuar faturando?
Será que se eu comprar aquele celular eu vou realmente "experimentar a liberdade", ou vai ser o contrário, ficarei preso pelo bolso em promoções ilusórias?
Será que um dia já existiu um sanduíche como aquele da foto no painel das lanchonetes, ou nem aquele era de verdade?
Será qual dos supermercados deste mundo vende mais barato, já que todos, ao mesmo tempo, afirmam ter o menor preço?
Será que o hambúrguer tem aquele cheiro mesmo, ou é verdade que injetam aromatizantes para atrair as pessoas?
Será que o psicólogo quer realmente que você se cure?
Será que é verdade que alguns médicos “recomendam” que os pacientes comprem medicamentos em determinadas farmácias? Por acaso o clínico já conhecia o farmacêutico? E o representante da indústria farmacêutica, será que ele já teve algum contato com o médico, já que alguns deste só receitam remédios de uma mesma fábrica?
Será que o herbicida combate mesmo a praga no campo, ou 'o combate' é com 'o bolso' do pequeno agricultor?
Será verdade que, como dizem alguns médicos, as pomadas e “sprays” para contusões não tem utilidade alguma, ou a propaganda do gelol cura tudo mesmo o que mostra?
Será verdade que os laxantes dão uma “limpada” mesmo em parte do nosso sistema digestório, levando inclusive boa parte dos sais minerais de nosso corpo? E os “aliviantes estomacais” têm efeito pior do que se aguentarmos a má digestão?
Será verdade que o mal da vaca louca teve relação direta com os tão propagandeados trangênicos?
Se é a indústria petrolífera a que mais polui o meio ambiente, por que será que estas empresas têm investido tanto na cor verde em seus símbolos?
Será que publicitários dormem bem depois de nos contar tudo isso?

3 comentários: