sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Documentário "Tancredo, a travessia" poderia ser renomeado para "Aécio, aquele do bafômetro"

Aético Never trabalhando firme no Congresso:

O jovem que foge do bafômetro e senador nas horas vagas Aético Never é o centro das atenções do documentário sobre a trajetória política de Tancredo Neves (1910-1985). Ele ocupa quase 6 minutos do documentário, dirigido por Silvio Tendler. Em 4 cidades que estreia semana que vem, o senador (que deve estar de férias) confirmou presença em todas as exibições. Quando Tancredo morreu, Aético tinha apenas 25 aninhos, mas mesmo assim ele aparece mais do que políticos já influentes na época, como os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e José Sarney. Ele 'discursa' por 13 vezes, fora quando surge como papagaio ou em fotografias abraçado ao avô. Aético ainda atua como analista sobre a derrota de Tancredo para Magalhães Pinto na disputa pelo governo de Minas Gerais, em 1960. Nesse ano o senador tinha apenas 7 meses quando a eleição foi realizada - ou seja, já tomava leite em pó. Mas o melhor da propaganda política eleitoral, ops!, do documentário foi ignorar a resistência organizada pelo então governador gaúcho Leonel Brizola, o maior responsável por evitar o golpe que impediria a posse de Jango, e não Tancredo como o filme relata. Tendler disse que Aético não interferiu no filme. Claro que não, né?

Nenhum comentário:

Postar um comentário